sexta-feira, 23 de junho de 2017

São João - Braga

Para mim a noite de São João, ou seja a noite de hoje, é das noites mais bonitas e importantes da minha cidade. A cidade sai à rua.
Pela primeira vez, este ano há um concerto nesta noite do Diogo Piçarra o que faz com que a noite fique ainda mais interessante.
A programação dos 10 dias de festa que se vivem em Braga está em todo o lado, e podem encontra-la aqui.
O que não falta são atividades culturais e razões para vir a esta noite que não tem fim.


Por isso se ainda não tens planos para a noite de hoje, aqui fica uma boa dica. Tenho a certeza que não te vais arrepender! 


segunda-feira, 19 de junho de 2017

O melhor ano

E parece que chegou ao fim o primeiro ano, aquele ano que toda a gente diz que é o melhor das nossas vidas! E se não foi o melhor ano da minha vida, de certeza que não está muito longe de o ser.
O meu primeiro semestre foi sem dúvida a adaptação e que me custou imenso. Hoje quando penso nisso apetece-me bater em mim própria por ter reagido às situações da maneira como reagi. Acho que demorei muito tempo a perceber que estava na universidade e a começar a aproveitar a vida universitária. Acho que ainda estava muito agarrada às ideias pré-concebidas que levava.

Com o passar do tempo fui deixando as coisas acontecendo sem forçar muito a minha motivação e a minha vontade de ir às aulas. Comecei a perceber que na universidade sou eu que decido como quero estudar, quando quero estudar e que os professores não estão preocupados se quero ou não estar na sala deles. Eles dão a aula e ganham o dinheiro deles e nós apanhamos a matéria ou arranjamos mil distracções. Alias, nem precisamos de arranjar uma justificação para não aparecer à aula, temos a liberdade para faltar quando quisermos. Cabe-nos a nós decidir quando devemos faltar ou não. Há aulas que precisas mesmo de ir, e há outras que não vale a pena. E vamos aprendendo isso com o tempo.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Ocupação precisa-se!


Depois de andar um ano e meia sempre ocupada (com a escola/universidade e com o trabalho) sinto-me completamente inútil por estar uma semana sem fazer absolutamente nada. 
Juro que não consigo perceber como é que as pessoas aguentam tanto tempo sem fazer nada. 
Sempre fui muito organizada com o meu tempo, e sempre o consegui distribuir bem - nunca foi necessário deixar de sair para estudar, ou deixar de estudar porque tinha de ir trabalhar. E quando me deparo com um dia inteiro sem compromissos é muito estranho. O dia não rende nada. Parece que por muitas coisas que faça vão ser sempre poucas comparadas ao que fazia.

Tenho (mesmo) de arranjar alguma coisa interessante para fazer.