domingo, 27 de outubro de 2019

Fico feliz quando a hora muda porque significa que o inverno está a chegar (e o natal também!).

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Barcelona | Locais e dicas

Após o meu desabafo sobre aquilo que correu menos bem na minha viagem, hoje trago-vos algumas dicas e sítios obrigatórios para visitar em Barcelona.

Parque Olímpico - Em nenhum dos sítios que pesquisei sobre Barcelona apareceu esta sugestão. Na verdade, nós chegamos lá depois de irmos ao museu nacional de Arte. O parque Olímpico é um dos sítios mais bonitos que eu visitei.

Mercado de la Boqueria - Na segunda tentativa de irmos ao mercado conseguimos, mas estava completamente cheio. Eu não sei se aquilo costuma ser sempre assim mas, sei que no dia em que eu fui visitar era muito difícil de alguém se mexer lá dentro. O mercado é constituído por tudo aquilo que os mercados normais têm, mas para além disso, tem imensos sumos naturais de fruta, gomas e chocolates, que é sem dúvida a imagem de marca deles.

Zona universitária - Esta era a zona da cidade mais próxima da nossa casa que tinha mais movimento. A zona universitária como o nome diz, é onde se encontram todos os pólos/escolas da universidade de Barcelona. Nesta zona existe também um jardim enorme (e lindo) que foi o primeiro sítio que nós visitamos e que sentimos que aquilo é mesmo diferente da nossa realidade. Este jardim - Palau Reial de Pedralbes - não aparece em nenhum sitio como sugestão de visita numa ida a Barcelona e para mim, é um local obrigatório a toda a gente. Por não ser no centro as pessoas perdem um bocado o interesse em visitar.

Praia de la Barceloneta - Esta é a praia mais conhecida de Barcelona e é também um local de muita atracão turística.

Claro que acrescento à lista a Sagrada Família, o parque de la Ciutadella (não visitei porque esteve sempre fechado), o Arco do Triunfo, o parque Guell (que também não visitei) e há mais mil lugares que valem a pena ser visitados. 

Museu Nacional de Arte

Jardim Olímpico 

mercado de la boqueria 

praia de la barceloneta

Como te podes deslocar: O T-10 foi o tipo de pass que nós escolhemos. Basicamente tem 10 viagens e pode ser utilizado por mais do que uma pessoa. Estas viagens dão para metro, comboio e autocarro e podem ser reutilizadas num prazo de 75 min. Ou seja, nós usamos um pass as três (eu e as minhas irmãs), cada uma usava uma viagem e podíamos mudar de transporte sem ter de gastar mais do que uma viagem pro pessoa. Este foi o que fez mais sentido para nós, porém convém calcularem o número de viagens que tencionam fazer porque existem inúmeras opções

Onde ficar: Alugamos uma casa no airbnb porque assim poupamos dinheiro em refeições. Também fez mais sentido para nós não alugar no centro da cidade (que ideia iluminada!) porque assim tornou-se mais barata e deu para conhecermos algumas zonas fora do centro. Tornou-se uma mais-valia devido a tudo o que estava a acontecer no centro, e ficamos um bocado mais descansadas por estarmos mais afastadas da confusão. Mais uma vez, para fazerem a escolha, convém pensarem se faz mais sentido ficar num hotel e comer fora ou alugar uma casa para poderem fazer as vossas refeições - tudo depende dos dias, do que vão visitar e do tempo que querem passar em casa/hotel. 

A maior dica que vos dou é estarem abertos a descobrir novos sítios. Nem tudo está programado, descubram sítios novos, visitem locais diferentes do que toda a gente sugere. Nem tudo o que é interessante e bonito está no centro da cidade. Eu descobri o estádio do Barcelona porque decidi descer a rua e, por acaso, estava na rua do estádio. Não programem tudo ao pormenor, deixem tempo para descobrir outros sítios.

domingo, 20 de outubro de 2019

Viajar | Barcelona

Visitei Barcelona na pior altura que podia ter visitado. Mesmo assim, consegui o melhor do pior cenário de sempre. Cheguei a casa viva, sem ter sido assaltada ou algo do género e com boas memórias para recordar desta cidade. Como puderam acompanhar pelas noticias estes últimos dias, Barcelona está um caos. As manifestações diárias estão espalhadas por toda a parte. Antes de apanhar o avião eu só pensava "onde é que eu me vou meter?". 

As piores coisas de Barcelona:

Com a greve e as manifestações ficamos sem transportes públicos porque as ruas estavam todas fechadas. O único transporte que existia era o metro, por isso conseguem imaginar o caos que estava e a quantidade de pessoas que andavam de metro.

Com a greve e as manifestações metade dos sítios estiveram fechados na sexta-feira, incluído o mercado de la boqueria e o parque de la Ciutadella. Ou seja, muito do que tínhamos planeado fazer no dia de visitar o centro da cidade era impossível fazer. Perdemos imenso tempo a ir aos sítios (a pé) para chegar lá e estarem fechados.  

Em todas as ruas existiam bicicletas para as pessoas se puderem deslocar pela cidade. Porém, as bicicletas só estão disponíveis para as pessoas que vivem em Barcelona. Para podermos alugar uma bicicleta não podemos pegar numa que esteja no meio da rua mas sim, temos de ir a uma loja própria.

Barcelona tem a fama que é uma cidade muito perigosa a nível de assaltos. Felizmente não nos aconteceu mas percebemos que o ambiente nas ruas fica muito mais perigoso e pesado com o anoitecer. Quando nos afastamos do centro da cidade há muitas ruas "perigosas".

Por fim, a pior coisa que retirei desta viagem e a que mais me desiludiu foi o facto dos espanhóis não perceberem nada do que nós dizemos. Todos os dias, no meu trabalho, atendo pessoas a falar espanhol e consigo perceber tudo o que eles dizem. Aconteceu o contrário quando fui para o país deles. Bastava eu dizer uma palavra em português para eles começarem a falar inglês. Como é que eu entendo tudo o que eles me dizem e eles não percebem nada?  Não se esforçavam minimamente para entender e diziam logo "no entiendo!". Fiquei com uma péssima imagem da simpatia destas pessoas.


Já alguma vez foram a Barcelona? O que foi o pior desta cidade? 
Conto-vos o melhor de Barcelona no próximo post.

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Há momentos na vida que tens de parar e (re)pensar. Há momentos em que não vais saber para onde vais, só vais. Há momentos em que tens de encher o peito de ar, respirar bem fundo e acreditar com todas as forças: a vida sabe o que faz. 

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

9 de 12 | Setembro

Setembro foi um mês bom como é habitualmente porque começa com as melhores pessoas que eu posso ter por perto. A semana no Geres com os meus amigos é o recarregar perfeito de energia e de vontade de recomeçar. É nessa semana que eu me sinto verdadeiramente de férias. 
A semana seguinte foi incrivelmente boa pelo facto de ter tido a oportunidade de ir à Madeira visitar uma das melhores pessoas que o trabalho me trouxe. Aproveitei tudo o que a ilha tinha de melhor para me dar, conversei muito e conheci ainda mais. Foi uma experiência inesquecível por me ter feito sair da minha zona de conforto e entrar num aeroporto sozinha e viajar sozinha. 
A segunda parte do mês já é a parte mais chata, a que menos gosto e a que demora mais tempo a passar - a do regresso à rotina. 
Começou o mestrado, a nova rotina que implica sair das aulas todos os dias à noite e conciliar com isso o trabalho. Com o inicio do mestrado começou todo o processo de adaptação aos novos horários e conseguir conciliar isso com as pessoas que me rodeiam. 

Setembro foi muito bom porque eu consegui ter tempo para mim, para descansar, para viajar e para fazer todas as outras coisas que geralmente não conseguimos fazer se não estivermos de férias. Consegui priorizar algumas coisas e algumas pessoas e sinto-me muito bem por ter conseguido ultrapassar o facto de nem toda a gente estar lá quando eu gostava que estivesse. 

Outubro é um dos meus meses predilectos, é o mês do outono, dos dias mais frios e das tardes no sofá com mantas. Que Outubro traga tudo aquilo que Setembro não trouxe e que se não conseguir ser melhor que seja igual!